Portal de Aquidauana

Seja bem vindo,

Cota��o
Aquidauana

Conselho espera laudo para apontar responsável por incêndio no Atacadão

Publicado em 15/09/2020 Editoria: Polícia


Equipes de fiscalização e perícia estiveram no local na manhã de hoje. (Foto: Henrique Kawaminami)

Equipes de fiscalização e perícia estiveram no local na manhã de hoje. (Foto: Henrique Kawaminami)

Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso do Sul) acompanha desde o início as fiscalizações para saber as causas do incêndio de grandes proporções que atingiu o Atacadão na Avenida Duque de Caxias no último domingo em Campo Grande, e aguarda o laudo para apontar culpados.
 
Segundo explicou o gerente de fiscalizações Altamiro Barbosa, ao conselho cabe fiscalizar se as manutenções dos equipamentos de incêndio, elétricos, reservatórios de combustível, de gás estão em dia, bem como se há profissional responsável capacitado para isso.
 
“O Profissional, no momento da realização desses trabalhos, registra no Crea uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), que é o documento oficial para apresentar os documentos em outros órgãos como no caso o Corpo de Bombeiros. A partir disso, os outros órgãos validam o trabalho como realizado por profissional habilitado”, disse.
 
No caso do Atacadão, o conselho afirma que realizou as checagens e as manutenções estavam em dia. “Já realizamos as checagens, existem profissionais responsáveis pelas manutenções, são capacitados tecnicamente para tal e pelos registros do conselho estas manutenções estavam todas em dia”, destacou.
 
Agora o conselho acompanha e aguarda os laudos de constatação das causas que deve ser elaborado pelo Corpo de Bombeiros e Polícia Civil para apontar se houve ou não responsabilidade do engenheiro.
 
“Se ficar comprovado que houve negligência do engenheiro ele poderá ser responsabilizado na área cível, criminal e também no conselho de ética do Crea, onde pode receber desde uma advertência reservada, uma censura pública, suspensão o registro ou cassação do registro”, completou.
 
“Mas agora vamos aguardar os laudos dos órgãos responsáveis pra ver os próximos passos”, concluiu Altamiro. 


› FONTE: Campo Grande News