Portal de Aquidauana

Seja bem vindo,

Cota��o
Aquidauana

Ao ser preso, suspeito diz ter matado jovem com 12 tiros após discussão

Publicado em 14/01/2020 Editoria: Cidade


Rapaz, de 23 anos, executou Vitor Hugo de Oliveira da Silva com ajuda do irmão, de 33 anos, que também foi preso
 
Um dos suspeitos, de 23 anos, presos após a execução do jovem Vitor Hugo de Oliveira da Silva, de 20 anos, nesta segunda-feira (13) admitiu ter atirado no jovem, pois os dois teriam tido uma discussão, na noite do último domingo (12) em Campo Grande. O irmão do rapaz, de 33 anos, também foi preso por policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar minutos depois do crime.
 
Os nomes da dupla ainda não foram divulgados. Eles foram localizados, depois que testemunhas contaram que os dois suspeitos chegaram em um Fiat Uno verde ao local do crime e chamaram a vítima no portão de casa. Assim que ele saiu para ver quem era, foi baleado.
 
As equipes do Batalhão de Choque então iniciaram as buscas pelos suspeitos, nas regiões dos Bairros Alves Pereira/Colibri. Por volta das 17h30, a equipe abordou o veículo, que estava sendo conduzido pelo suspeito de 33 anos. Ao ser questionado, ele informou que estava junto com seu irmão na hora do homicídio e que teria sido o seu irmão, quem atirou contra a vítima.
 
Ele ainda informou que o jovem estava em uma residência na Vila Adelina, inclusive com a arma de fogo utilizada no crime. Os policiais então foram até o endereço onde estava o suspeito e o localizaram nos fundos da residência. Com ele também foi apreendido o revólver calibre .38 com munições, usado no crime. Ele não só admitiu que era o dono da arma, como disse ter matado a vítima, pois eles haviam discutido na noite anterior. A dupla foi encaminhada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol.
 

Segundo o delegado André Luiz Mendonça, da 4ª Delegacia de Polícia Civil, foram encontradas 12 perfurações no corpo de Vitor. Nos bolsos do jovem a polícia apreendeu uma porção de maconha, R$ 1 em moedas e um número de telefone.
 


› FONTE: Campo Grande News