Portal de Aquidauana

Seja bem vindo,

Cota��o
Aquidauana

Congresso, governadores, Judiciário, empresários e até aliados reagem à fala de Bolsonaro; veja repercussão

Publicado em 25/03/2020 Editoria: Brasil


Em pronunciamento nesta terça (24), Bolsonaro defendeu o fim do isolamento e a reabertura de escolas

Em pronunciamento nesta terça (24), Bolsonaro defendeu o fim do isolamento e a reabertura de escolas

Governadores, empresários, políticos e influenciadores de diversas matizes políticas —incluindo aliados— estão entre os críticos do discurso que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) proferiu nesta terça-feira (25).
 
Em pronunciamento de quase cinco minutos, Bolsonaro defendeu o fim do isolamento, chamado por ele de confinamento em massa, e a reabertura de escolas e comércio. Se adotadas, as medidas irão na contramão de dezenas de países ao redor do mundo e de recomendações de especialistas.
 
Por rede social, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou que "se [Bolsonaro] não calar estará preparando o fim". Já o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), considerou "grave a posição externada pelo presidente da República".
 
Até esta terça, 156 nações haviam fechado todas as suas escolas, segundo levantamento da Unesco.
 
Em um ataque à TV Globo e ao médico Dráuzio Varella, colunista da Folha, Bolsonaro afirmou que, pelo seu "histórico de atleta", caso fosse contaminado, "nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico daquela conhecida televisão".
 
A fala faz referência a um vídeo de Dráuzio de janeiro, com comentários do médico sobre a situação naquele momento.
 
Abaixo, veja os principais comentários sobre o pronunciamento.
 
"A pandemia do covid19 exige solidariedade e co-responsabilidade. A experiência internacional e as orientações da OMS na luta contra o vírus devem ser rigorosamente seguidas por nós. As agruras da crise, por mais árduas que sejam, não sustentam o luxo da insensatez. FiqueEmCasa"
Ministro do STF, Gilmar Mendes
 
"A manifestação em cadeia de rádio e televisão do presidente da República contraria as determinações da Organização Mundial da Saúde. Nós continuaremos firmes, seguindo as orientações médicas, preservando vidas. Eu peço a você, por favor, fique em casa."
Governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC)
 
"Não é gripezinha. Vou continuar trabalhando em defesa da vida. Olhar nos olhos das pessoas e dizer: estamos numa guerra. ACORDA. Temos que vencê-la. Chega de discurso vazio e delírios. Vamos trabalhar mais e mais. Responsabilidade. Todos contra o coronavírus. FiqueEmCasa"
Governador da Bahia Rui Costa (PT)
 
"Pronunciamento de hoje mostra que há poucas esperanças de que Bolsonaro possa exercer com responsabilidade e eficiência a Presidência da República. Os danos são imprevisíveis e gravíssimos."
Governador do Maranhão Flávio Dino (PC do B)
 
"Eu não ia voltar ao tema, mas o presidente repetiu opiniões desastradas sobre a pandemia. O momento é grave, não cabe politizar, mas opor-se aos infectologistas passa dos limites. Se não calar estará preparando o fim. E é melhor o dele que de todo o povo. Melhor é que se emende e cale."
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB)
 
"Neste momento grave, o país precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque."
Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)
 
"Desde o início desta crise venho pedindo sensatez, equilíbrio e união. O pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública."
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
 
"Bolsonaro faz um pronunciamento descolado da realidade, ataca a imprensa e insiste em dizer que o novo coronavírus é uma “gripezinha”. Hoje totalizamos 46 mortos!!! O Brasil não tem presidente da República!"
Líder da oposição na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon (PSB-RJ)
 
"Vimos em rede nacional um presidente desqualificado mentir, debochar e provocar um país que, apesar dele, luta bravamente e se une para enfrentar umas das maiores crises da história."
Deputado federal Marcelo Freixo (Psol-RJ)
 
"Os brasileiros deveriam anotar os nomes dos empresários, dos apresentadores de TV e dos políticos que, em meio a contaminações, mortes, velórios sem abraços, cremações isoladas... Tiveram a ousadia de dizer que estão acima dos demais... Que não são passíveis de contaminação..."
Deputada estadual de São Paulo Janaína Paschoal (PSL)
 
“O presidente dobrou a aposta do discurso lunático e colocou em xeque as políticas de isolamento defendidas pelo seu próprio ministro da Saúde (...) Em vez de propor soluções, preferiu atacar a imprensa, os governadores e fazer piada em rede nacional. Tragédia anunciada."

Deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP)


› FONTE: Folha